terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Da tragédia à alegria - A parábola do rei alegre




Há muitos séculos atrás, o Rei de um país longínquo decidiu nas festas de seus setenta e cinco anos de idade escolher um sucessor pois não tinha filhos nem parentes próximos.

O Rei convocou para a Corte os seus sete melhores cavaleiros, cujas legendas eram grifadas pela bravura e pela lealdade. Reunindo-os à sua volta o soberano anunciou uma competição, a mais nobre de todas. Seria seu sucessor seria aquele que conseguisse trazer a Alegria à sua presença. Findo o anúncio, deu um prazo de cinco anos para a realização da tarefa quando então decidiria qual cavaleiro seria honrado pelo mérito.

O Primeiro Cavaleiro concluiu que a Alegria deveria estar longe. Atravessou fronteiras e mares, enfrentou inimigos e monstros, dormiu em cavernas e percorreu lugares não habitados. Cansado, retornou de mãos vazias para o reinado. Na sua viagem colheu apenas afrustração.

O Segundo Cavaleiro suspeitou que o povo do reinado teria roubado esta misteriosa Alegria. Perseguiu homens e mulheres das aldeias vizinhas até ser obrigado um dia a enfrentar a fúria e a revolta dos camponeses. Preso, amarrado e puxado como animal através das vielas retornou ao Rei com uma única colheita, a humilhação.

O Terceiro Cavaleiro interpretou a convocação do Rei como um ardil para testar sua lealdade e força. Armou-se até os dentes, intensificou seu treinamento militar e permaneceu atento ao inesperado durante dias e anos a fio. Todo ruído era motivo de alarme e até mesmo os cantos dos pássaros passaram a assustar e provocar insônias. Findo o prazo da busca e fisicamente enfraquecido, o Cavaleiro conseguiu colher apenas o medo.

O Quarto Cavaleiro entendeu que a Alegria era algo que poderia ser comprado. Um dia encontrou nas suas andanças um esperto mercador que lhe prometeu vender a Alegria em troca da fortuna do Cavaleiro. Decidido a ser o sucessor do Rei ele fechou o negócio com o sabido viajante. Numa noite de lua nova à beira de uma estrada deserta, no dia e hora marcada, entregou ao mercador o dinheiro recolhido. Em troca, recebeu um pequeno cofre metálico que, ao abrir, mais tarde, à luz de um candeeiro, descobriu estar no lugar da esperada Alegria apenas um pacote de feno. A sua colheita foi a ilusão e a miséria.

O Quinto Cavaleiro achou o pedido do Rei um absurdo e imaginou que ele  estava ficando insano ao propor tal desafio. Decidiu, então, que pelo bem do Reinado seria justo manipular a situação de modo a ser escolhido como futuro rei. Inventou uma história sobre um encontro com os anjos alegres do Céu que lhe teriam assegurado ser ele o legítimo sucessor real. Pagou algumas testemunhas falsas e veio à presença do Rei. Felizmente, na hora do encontro marcado alguém que tinha assistido escondido à farsa denunciou o golpe do Cavaleiro. Preso, ele colheu apenas avergonha.

O Sexto Cavaleiro interpretou a demanda do Rei como uma “missão impossível” pois tinha sido treinado para enfrentar exércitos e dragões e não a Alegria. Constrangido e impotente recolheu-se à sua casa e, alí, permaneceu durante todo o tempo até o esgotamento do prazo de cinco anos. Sua única colheita foi a tristeza.

O Sétimo Cavaleiro ficou intrigado e pensativo com o desafio. Indagava com seus botões porque um soberano que tinha colhido tantas vitórias necessitava, nesta altura de sua vida, enviar seus melhores cavaleiros à procura desta enigmática Alegria. Atravessou dias, meses e anos tentando resolver o enigma até que cansado e sem mais esperanças desistiu de pensar no assunto. Neste momento de abandono percebeu, porém, um pássaro-viajante de plumas amarelas pousando na janela de seu quarto. O pássaro o fitava como se compreendesse seu abandono. O Cavaleiro admirava o pássaro descobrindo no corpo esguio e nas robustas patas do viajante algo em comum com ele, o Cavaleiro. De repente, o pássaro toma vôo. Seu abrir de asas despertou no Cavaleiro uma emoção de liberdade que não tinha nada a ver nem com o passado, nem com o futuro, mas apenas com a intensidade daquele instante. As plumas amarelas se confundiam com os raios da aurora, dissolvendo os seus desejos por perguntas e respostas.

Uma intuição então lhe chegou como um raio luminoso. Entendeu subitamente que atrás da demanda do Rei pela Alegria brotava uma verdade sutil e comunicativa que se bastava pela imagem refletida naquele momento. A pergunta do Rei, compreendeu, era apenas o reflexo luminoso de uma vida: sem mais ilusões ou esperanças, sem mais passado ou futuro. Uma vida expressa pelas asas libertas de um pássaro ou apenas na contemplação silenciosa e intensa de um instante. Este Sétimo Cavaleiro colheu, assim, a sabedoria sendo escolhido sucessor pelo Rei.

sábado, 3 de novembro de 2012

Desnegativização



COMO SE DEFENDER DAS ENERGIAS NEGATIVAS

Todos nós sabemos que as energias negativas são uma das maiores preocupações do ser humano. Elas nos alcançam em qualquer lugar do planeta. Mas, podemos nos defender, começando a tomar uma série de atitudes e providências. Abaixo segue seis 
dicas para começar a combatê-las.

1. NÃO TEMER NINGUÉM

Uma das armas mais eficazes na subjugação de um ser é impingir-lhe o medo. Sentimento capaz de uma profunda perturbação interior, vindo até a provocar verdadeiros rombos na aura, deixando o indivíduo vulnerável a todos os ataques.
Temer alguém significa colocar-se em posição inferior, temer significa não acreditar em si mesmo e em seus potenciais; temer significa falta de fé. O medo faz com que baixemos o nosso campo vibracional, tornando-nos assim vulneráveis às forças externas. Sentir medo de alguém é dar um atestado de que ele é mais forte e poderoso. Quanto mais você der força ao opressor, mais ele se fortalecerá.

2. NÃO SINTA CULPA

Assim como o medo, a culpa é um dos piores estados de espírito que existem. Ela altera nosso campo vibracional, deixando nossa aura (campo de força)
vulnerável ao agressor.
A culpa enfraquece nosso sistema imunológico e fecha os caminhos para a prosperidade. Um dos maiores recursos utilizados pelos invejosos é fazer com que nos sintamos culpados pelas nossas conquistas. Não faça o jogo deles e saiba que o seu sucesso é merecido. Sustente as suas vitórias sempre!

3. ADOTE UMA POSTURA ATIVA

Nem sempre adotar uma postura defensiva é o melhor negócio. Enfrente a situação.
Lembre-se sempre do exemplo do cachorro:
quem tem medo do animal e sai correndo, fatalmente será perseguido e mordido. Já quem mantém a calma e contorna a situação pode sair ileso. Em vez de pensar que alguém pode influenciá-lo negativamente, por que não se adiantar e influenciá-lo beneficamente? Ou será que o mal dele é mais forte que o seu bem? Por que será que nós sempre nos colocamos numa atitude passiva de vítimas? Antes que o outro o alcance com sua maldade, atinja-o antecipadamente com muita luz e pensamentos de paz, compaixão e amor.

4. FIQUE SEMPRE DO SEU LADO

A maior causa dos problemas de relacionamentos humanos é a “Auto- Obsessão”.
A influência negativa de uma pessoa sobre outra sempre existirá enquanto houver uma ideia de dominação, de desigualdade humana, enquanto um se achar mais e outro menos, enquanto nossas relações não forem pautadas pelo respeito mútuo. Mas grande parte dos problemas existe porque não nos
relacionamos bem com nós mesmos.
“Auto-Obsessão” significa não se gostar, não se apoiar, se auto-boicotar, se desvalorizar, não satisfazer suas necessidades pessoais é dar força aos outros permitindo que eles influenciem sua vida, achar que os outros merecem mais do que nós. Auto-obsediar-se é não ouvir a voz da nossa alma, é dar mais valor à opinião dos outros. Os que enveredam por esse caminho acabam perdendo sua força pessoal e abrem as portas para toda sorte de pessoas dominadoras e energias de baixo nível. A força interior é nossa maior defesa.

5. SUBA PARA POSIÇÕES ELEVADAS

As flechas não alcançam o céu.
Coloque-se sempre em posições elevadas com bons pensamentos, palavras, ações e sentimentos nobres e maduros. Uma atmosfera de pensamentos e sentimentos de alto nível faz com que as energias do mal, que têm pequeno alcance, não o atinjam. Essa é a melhor forma de criar “incompatibilidade” com
as forças do mal. Lembrem-se:
energias incompatíveis não se misturam.

6. FECHE-SE ÀS INFLUÊNCIAS NEGATIVAS

As vias de acesso pelas quais as influências negativas podem entrar em nosso campo são as portas que levam à nossa alma, ou seja, a mente e o coração. Mantenha ambos sempre resguardados das energias dos maus pensamentos e sentimentos, e fuja das conversas negativas, maldosas e depressivas.
Evite lugares densos e de baixo nível. Quando não puder ajudar, afaste-se de
pessoas que não lhe acrescentam nada e só o puxam para o lado negativo da vida. O mesmo vale para as leituras, programas de televisão, filmes, músicas e passatempos de baixo nível.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Uma História de Amor e Fúria


Cena da animação “Uma História de Amor e Fúria”, de Luiz Bolognesi
Rodrigo Salem, na Folha de S. Paulo
Brasil, 2096. A água é controlada por uma empresa bilionária chamada Aquabrás. O presidente do Brasil é um pastor evangélico com relações estreitas com milícias que possuem ações na bolsa e matam crianças para proteger interesses da elite.
Não é um futuro tão difícil de imaginar. Mas o potencial de polêmica é o combustível de “Uma História de Amor e Fúria”, animação escrita e dirigida por Luiz Bolognesi, roteirista de “Bicho de Sete Cabeças” (2001), que promete ser um marco do gênero na filmografia brasileira.

‘Uma História de Amor e Fúria’

O desenho, que estreia em abril, será exibido dentro da mostra competitiva do Festival do Rio, tornando-se o primeiro desenho a entrar na disputa.
A animação é um épico que começa em 1566, próximo à fundação do Rio (1565), passa pela revolta da Balaiada, no Maranhão, por movimentos estudantis nas décadas de 1970 e 1980 e culmina neste futuro distópico, cujo maior choque visual é o Cristo Redentor em ruínas.
“O Cristo é o grande símbolo do Rio. Várias pessoas falaram: ‘Cara, você vai ser linchado!’”, contou Bolognesi em entrevista à Folha.
PROJETO ANTIGO
Esse futuro foi escrito há pouco mais de um ano, mas o projeto é bem mais velho. Começou há dez anos, quando Bolognesi foi inundado de possibilidades após o sucesso de “Bicho de Sete Cabeças”.
“Eu adoro HQs e história do Brasil. O projeto ideal seria unir as duas coisas. Como somos irresponsáveis, decidimos fazer um longa animado”, brinca o cineasta.
Irresponsável por duas razões: 
1) O Brasil não tem tradição em animação de qualidade para o cinema; 
e
 2) O desenho, violento, não é feito para a criançada.
“Foi extremamente difícil vender o projeto. Todo mundo me chamava de louco”, diz o diretor. Bancado pelas produtoras Gullane e Buriti, o longa levou seis anos para virar realidade, teve um orçamento em torno de R$ 4,5 milhões e uma equipe de 30 jovens animadores.
“Começamos em Águas de Lindóia [interior paulista], porque o aluguel era mais barato. Passamos por Santos e terminamos em São Paulo. Alguns se casaram e tiveram filhos durante o processo.”
A espera valeu a pena. “Uma História de Amor em Fúria”, em que o personagem dublado por Selton Mello é uma espécie de highlander indígena com 600 anos, enquanto Camila Pitanga dá voz ao amor eterno do índio, é um produto de qualidade inédita do gênero no país.
Usa a equipe de som de “Tropa de Elite”, tem trilha sonora incidental comandada por Pupillo, da Nação Zumbi, e Rica Amabis e uma bela animação em 2D.
Bolognesi aproveitou o estilo americano que marca o traço de seus animadores para compor os personagens. Mas também mostrou à equipe desenhos como “Ghost in the Shell” (1995), e o coreano “Wonderful Days” (2003).
TRAFICANTE HERÓI
O visual fantástico esconde o tom didático do roteiro ao tratar de revoluções dos oprimidos contra a elite.
Traficantes são comparados a cangaceiros e retratados como heróis. “Todo mundo achava Lampião um monstro, assim como veem os traficantes hoje”, polemiza Bolognesi. O filme vai mais longe. Diante do corpo de um traficante morto, o protagonista fala: “Meus heróis não viraram estátuas, mas morreram lutando contra eles”.
“Essa narcocultura é erótica. O que vende no exterior é filme de mano com pano na cabeça e arma na mão, como ‘Cidade de Deus’ e ‘Tropa’. A violência é lamentável, mas o homem revoltado produz realidade. E ela é vida e morte.”

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Death and Ribirth



Morrer muda tudo. Há a queda emocional, claro. Mas também há a parte prática. Quem vai fazer o seu trabalho? Quem vai tomar conta da sua família? A única coisa boa é que não precisa se preocupar. Pessoas que você nunca viu, vão morar na sua casa, fazer o seu trabalho, a vida continua…sem você.
Dizem que morrer é mais difícil para os vivos. É difícil dizer adeus. Às vezes, é impossível. Você nunca deixa de sentir a perda. É o que faz as coisas tão agridoces. Deixamos pequenas partes de nós para trás, lembretes, uma vida cheia de memórias, fotos, quinquilharias. Coisas para sermos lembrados, mesmo quando nos formos.
Walk in my shoes?

domingo, 23 de setembro de 2012

VTNC LATINO - Brazilian protest



 
Hello, how are you? 

I come on be behalf of more than 90 thousand Brazilian people that look for help and support of you in a special move. Everyone knows that the music Gangnam Style of the Korean Singer PSY is a success worldwide and that many artists have danced and shared on Twitter this music video. 

However, we Brazilians also like very much of it, but we had a somewhat unpleasant surprise on Sept. 14, when a singer named Latino, played a version of the internet hit Gangnam Style, extremely grotesque. The video has already hit record deslike on youtube with over 95 000 deslike but we PSY's fans and supporters really want to prevent that Latino singer sing obscene version he created. 

Through the internet many people expressed their displeasure with the Latino's version, but in response he offended PSY's fans and offended us, referring to fans as envious and say to us on the twitter "go to hell". 
We do not stop expressing opinions contrary to the version of this singer because it is completely contrary to the original version. 

On being criticized by version, Latino said on his twitter: 

"The Koreans were angry with me because I made the 1st bold version of the song, but the Brazilians were happy because they passed to understand at least something!" 

What is not true, we Brazilians hate his version, not to mention that the singer's comment suggests that the original music as well as his version only talks about sex. I will put part of Latino's song in Portuguese and translated into English, a little lower. I prefer not to torture you with the whole song. 
It Is worth mentioning that if the South Koreans - in fact South Koreans and South Koreans descendants - who live in Brazil did not like the song and were offended, it would make the singer back on his decision, apologize and not sing anymore the obscene version that he created, but he continued. 

Even before the song came out, the singer was already receiving criticism and said on his twitter: 

"Even before make the Brazilian version of HIT Gangnam Style, Koreans have started the protests? Please spare me, NE .. We are in Brazil fuck." 

As if living in Brazil was reason to ignore the discontent of the descendants of Koreans, South-Koreans that live in Brazil and Korean Culture's fans. The singer Latino says that his version is a tribute to PSY and for Koreans that live in Brazil, but we do not see how to turn "Heyy sexy lady" to "I want sex", can be a tribute. 

Throughout the days we continue to demonstrate our displeasure with this perverted version of Gangnam Style, but the singer began using TV channels for marketing music and it inevitably force people to hear this destructive version. At the point of people saying that his version is so bad it is giving cancer in those who listen. 

The Latino's version called "Farewell Single" - in view of the singer, is a tribute to the Koreans who live in Brazil and for the own PSY - the song talks about the day before the of a man's wedding that goes to a nightclub with the clear intention to achieve sex with as many women as he can, he'll be "crazy", drugging and drinking till you drop at the end, and he does not know if it really is getting married the next day. 

Which leads us to emphasize that we are tired of songs that are sold to the media that only destroy the image of Brazilian women, what we can see on a clearly way in Latino's version say "I will hunt and be hunted, lacing, pull, kiss", makes us wonder if women reached the point of being cows are to be loops, not to mention the part where he says he will "gallop" all night with the woman. What again makes us wonder if the woman is now a horse to be ridden. And it is questionable what kind of man want to spend the night with several women having sex the day before the wedding? It should make anyone with at least a shred of decency get sick. 

This is the first time we see a singer to release a song that can turn women into animals that need to be roped and men on pimps in the extreme. The singer says that his version is permitted, but we ask the world's attention to express that this version needs to be banned. PSY on to make the song "Gangnam Style" make it as a critic to the society and for us fans it is very painful to see a really good song become garbage. Besides the risk of destroying an entire effort to attract positive attention to our country. 

While in the original version PSY sings "A woman who is loving and warm during the day. An elegant woman who knows to enjoy an invitation to a cup of coffee. A woman whose heart warms, upon arriving in the evening. A woman showing these two sides. I'm a guy, a guy who is hot during the day, like you. A guy who takes his coffee every day even before it cools. A guy whose heart 
explodes when night comes. That kind of guy." 

The singer Latino turned into "I'm going to enjoy life today in 24 hours, the ladies already know that tonight is all ours. Hunt and be hunted only in the club banger, DJ turbine LP sound that's already on the wheel. The area continues, do not stop. Don't stop, all the girls naked, the 'latinetes' with topless and butt to the moon, and I turned to catch their prey. No one can stop me. Bachelor party, tomorrow maybe I'll marry. I'm stoned, I'm pretty crazy and the hangover will kill me. I'll call a "fuck you", I just wanna kiss you play lasso, lasso" 

And the part where the PSY sings "Hey sexy lady, oppa has the style Gangnam, ehh sexy lady, oooh". 

Was transformed into "Hey, I want sex, I'll catch you. Hey, I want sex, to gallop " 

Because of this, the criticism continued and many Brazilians rejected the song until it reached the point where Latino singing again on his Twitter said: 

"Grab a lemon and turn it into lemonade is creativity YES! After all, no one deserves to suck pure lemon! That's what I did with the version of PSY!" 

It is easy to understand in this review that Latino, had the courage to take the music that is PSY success worldwide, destroy the music turning it into stupid lyrics and still say that the original version is like a lemon pure, what means that the original version is 'sour' and nobody supports. What inevitably further inflamed the will of Brazilians. Although we know the power of the Internet in Brazil, to our misfortune, the media still has a great impact on people and if we do not take care of these songs spread like a virus. So that's more or less a year this same singer in Brazil launched his version of "Danza Kuduro" by Don Omar and Lucenzo and made a great success until the moment that Latino disappeared only after we pass to know that Lucenzo - owner of the original version - sued Latino for not having permission to use his music, which makes us wondering if the Latino's version of "Festa no Apê" - another song obscene - is allowed, again because it is a copy of the song "Dragostea Din tei" of a Romania Group called O-ZONE. 

Latino has a habit of copying the songs of singers foreigners, of way to piggyback on the success of these singers, to the point of people are doing critics saying that Latino gets more ride than that backpacking in Europe and that pirates products are more original than him. 

The main point is that we PSY's and K-POP's Brazilians fans and supporters of this cause, we ask your help, this appeal reaches PSY and that if he can do something to stop this destruction of music and to that singer Latino who self titled "artist" - but do not miss the opportunity to offend PSY's fans, Korean culture's fans and supporters - cannot sing this perverted and obscene version of Gangnam Style anymore. It is also our goal that the singer Latino, will apologize to all the fans, supporters, Brazilian men and women and the own PSY by such disrespect. Have we made it clear that while he does not, we will not leave him in peace, for we will not accept more imposing negative media in our intellect.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Like a (Satan) virgin ???

Olha ela preocupada com você


Imagine que um dia você se levantasse, saísse de casa e no meio da rua se masturbasse para milhares de pessoas verem, na seqüência vendesse para todos a imagem de um santo negro, entrasse em rede nacional para dizer para todo mundo que os valores deles são hipócritas e errados, tirasse fotos nas situações sexuais extremas  vendesse para quem quisesse comprar e depois disso tudo ainda virasse um exemplo para as pessoas. Foi exatamente isso queMadonna fez.

Seu impacto foi tão grande na cultura ocidental que desde a idade média a palavra Madonna foi a derivação do italiano 'Mia Donna', em referência a  Nossa Senhora, a Virgem Imaculada mãe de Jesus Cristo. Esse nome dignificava a mulher santa, casta e submissa nos moldes das religiões abraamicas, mas tudo isso mudou quando em 1984, depois do lançamento de seu primeiro grande álbum, 'Like  Virgin' Madonna causou uma completa reversão (underhüng) no conceito, invertendo o sentido da palavra e de todos os valores que ela representa. Hoje Madonna é sinônimo de ambição feminina, poderosa voluptuosidade. “Nós vivemos em um mundo materialista e eu sou uma garota materialista”, não é esse um lema perfeito para uma bruxa satânica

Um livro inteiro de LaVey foi dedicado à essa exploração feminina do Satanismo, mas a concepção pode ser assimilada nas palavras da Magistra Peggy Nadramia, Alta Sacerdotisa da Church of Satan: "Uma bruxa satânica é uma mulher inteligente. Alguém que possuí a habilidade de obter tudo o que deseja. Não se trata de uma feiticeira que pratica magia branca, negra ou cinza, mas de alguém que sabe usar sua mente e se tirar vantagem dos estereótipos para atingir suas conquistas materiais."

Compare isso com a seguinte declaração de Madonna feita a revista Rolling Stones: "Sou dura, sou ambiciosa e sei exatamente o que quero. Se isso faz de mim uma vaca, tudo bem. (...) A coisa se resume no que é preciso fazer pela sua carreira. Acho que a maior parte das pessoas que se sente atraída por mim compreende isso, e tem que levar o fato em consideração."

Material Girl,  Madonna


Some boys kiss me, some boys hug me
I think they’re o.k.
If they don’t give me proper credit
I just walk away

They can beg and they can plead
But they can’t see the light, that’s right
’cause the boy with the cold hard cash
Is always mister right, ’cause we are

Living in a material world
And I am a material girl
You know that we are living in a material world
And I am a material girl

Some boys romance, some boys slow dance
That’s all right with me
If they can’t raise my interest then I
Have to let them be

Some boys try and some boys lie but
I don’t let them play
Only boys who save their pennies
Make my rainy day, ’cause they are

Living in a material world [material]
Living in a material world

Boys may come and boys may go
And that’s all right you see
Experience has made me rich
And now they’re after me, ’cause everybody’s

A material, a material, a material, a material world,
Living in a material world [material]
Living in a material world

Tradução de Material Girl
(Garota Materialista)

Alguns garotos me beijam, alguns garotos me abraçam
Eu acho que eles estão certos
Se não me dão o crédito apropriado
Eu simplesmente vou embora

Podem implorar e podem contestar
Mas não podem ver a luz, isso aí
Porque o garoto com o sua grana cara e suada
Está sempre com a razão

Porque nós vivemos num mundo materialista
E eu sou um garota materialista
'cê sabe, que nós vivemos num mundo materialista
E eu sou uma garota materialista

Alguns garotos são romance, alguns garotos são uma dança lenta
Está tudo certo comigo
Se não puderem levantar meu interesse
Então eu tenho que deixa-los me paz

Alguns garotos tentam e alguns garotos mentem
Mas eu não os deixo brincar (sem chance)
Somente garotos que guardam seus centavos
Fazem meu dia chuvoso

Vivendo num mundo materialista (materialista)
Vivendo num mundo materialista

Garotos podem vir e garotos podem ir
E você vê tudo bem
A experiência me fez rica
E agora eles vão atrás de mim

Porque todo mundo...
Materialista, Materialista, Materilista,
Num mundo materialista.
Vivendo num mundo materialista (materialista)
Vivendo num mundo materialista

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Sendo um Paranóide

Fernando Torres

sobre a PALHAÇO PARANÓIDE.


Estava zapeando em meu controle remoto quando parei em um canal da TV fechada que destina grande parte da sua programação à música brasileira. É um programa que veicula apenas as novas bandas e cantores independentes no Brasil. Fiquei assistindo, conheço algumas coisas, outras não, mas fui vendo e analisando tudo.
Fiquei me perguntando: Por que a PALHAÇO PARANÓIDE não faz parte da grade desse tipo de programação?
A banda alagoana PALHAÇO PARANÓIDE existe há alguns anos, tem uma legião de fãs, tem disco gravado, tem clipes publicados na internet com milhares de acessos, está gravando seu novo disco em São Paulo... O que seria então?

O garoto invisível (faço uma ponta no clipe com muita satisfação)

A rosa e o Vagabundo (neste eu fui o cozinheiro da galera)

Bastidores do garoto invisível

A banda tem um estilo jovem, uma musicalidade natural e algumas influências que são bem audíveis para ouvidos mais atentos. Passeiam pelo rock nacional, pelas bandas de Minas, pelos Beatles, por tudo que há de bom, enfim. Mas o que mais chama a atenção é a originalidade, a pegada forte, a voz que flutua entre o suave e o agressivo, mas sem agredir nossos ouvidos, muito pelo contrário, a sua música os atrai.
Aí, pensando na voz, foi onde surgiu minha desconfiança. O Vocalista da PALHAÇO PARANÓIDE, Guilherme di França, é afinado. Deveria ser óbvio, uma vez que tem tantos fãs e tocam seus shows por todo o Brasil. Mas a obviedade aqui não é a regra. De todas as músicas que ouvi no programa de TV, TODAS, repito, TODAS tinham problemas de afinação. Tenho percebido isso há algum tempo, mas esse programa ratificou minha suspeita e a transformou em certeza. Virou uma moda, um estilo, um vício, sei lá o quê: Cantar desafinado. Às vezes DEMASIADAMENTE desafinado. Alguns defensores dessa onda podem argumentar que velhos cantores da MPB também o eram. Sim, eram, mas exceção, não regra. Além do mais eles compensavam sua deficiência com a genialidade de suas letras e composições, o que nessa nova onda não é o caso...

Se pudesse dar um conselho aos integrantes da PALHAÇO PARANÓIDE diria aos mesmos o seguinte: Não mudem! Persistam nessa tão fora de moda afinação. Persistam nessa música única e crua que vocês vêm fazendo, pois essa onda vai passar, e vocês estarão de pé, seguros em suas raízes e AFINADOS com o mundo.


* Fernando Torres é cantor e compositor, integrante do grupo CEMO 3, pós-graduado em Música e professor efetivo da disciplina História da Música, no CEMO (Centro de Educação Musical de Olinda).

sábado, 11 de agosto de 2012

Homofobia



Privilegia-se nesta seção, um tipo de violência pouco documentado quando se referencia a escola, a homofobia, o tratamento preconceituoso, as discriminações sofridas por jovens tidos como homossexuais, que, muitas vezes, os professores não apenas silenciam, mas colaboram ativamente na reprodução de tal violência.

Ainda que se focalize aqui mais a questão da homofobia, são diversos os preconceitos, discriminações que em nome da sexualidade, desrespeitam, ferem a dignidade do outro, constituindo, muitas vezes, para quem é o objeto desses, sofrimentos e revoltas. São legitimados por padrões culturais que cultivam simbólica e explicitamente hierarquias e moralismos em nome da virilidade, da masculinidade e da rigidez que codifica uma determinada vivência da sexualidade como normal, a consentida. Muitas expressões de preconceitos e discriminações em torno do sexual tendem a ser naturalizadas, até prestigiadas e não entendidas necessariamente como violências.

Um tipo de estranhamento, que para vários autores associa-se á representação da masculinidade ou da masculinidade legítima e aprendida como a “normal“, e que se pode traduzir em diversos tipos de violências, comumente encontrada na literatura sobre jovens, diz respeito á discriminação contra os homossexuais.


A bem da verdade, a violência letal contra homossexuais, muito particularmente contra travestis é, sem dúvida, uma das faces mais trágicas da discriminação por orientação sexual e identidade de gênero ou homofobia no Brasil. De acordo com a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais – ABGLT, tal violência tem sido denunciada com bastante veemência pelo movimento LGBT e pesquisadores de várias universidades brasileiras e de organizações da sociedade civil que têm procurado produzir dados de qualidade sobre a situação.

Neste contexto, é imprescindível que as autoridades governamentais cumpram nossa Carta Magna e investiguem, julguem e punam os crimes sexuais com o mesmo rigor como têm tratado os crimes raciais.

Talvez a mais importante reação homofóbica provenha da ignorância que faz com que muitos imaginem que a homossexualidade seja uma escolha livre e consciente, ou que se “pega” de outro por meio de sedução ou imitação idólatra.


MENEZES, Marcelo Lima de. Homossexual, educador e o preconceito nas escolas. Aracaju: J. Andrade, 2009



quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Segredos



Segredos não podem ser escondidos na ciência. A medicina tem toda uma maneira de expor mentiras. Dentro das paredes de um hospital por exemplo, a verdade é sempre revelada. A maneira que mantemos nossos segredos do lado de fora do hospital… bem, isso é um pouco diferente. Uma coisa é certa: seja lá o que tentamos esconder, nós nunca estamos prontos para o momento que a verdade é descoberta. Esse é o problema com os segredos – assim como as tragédias, eles sempre vêm aos montes. Eles vão se empilhando até tomar conta de tudo, até você não ter espaço para mais nada, até você estar tão cheia de segredos que parece que você vai explodir.
[...]
O que as pessoas se esquecem é o quanto é bom quando a gente se livra desses segredos. Sejam bons ou maus, pelo menos eles foram liberados – quer gostemos ou não. E uma vez que seus segredos foram escancarados, você não tem mais que se esconder atrás deles. O problema com os segredos é que mesmo que você pense que está no controle… você não está.

terça-feira, 17 de julho de 2012

2 years and still growing strong!


Never Leave Your Heart Alone 
By : Butterfly Boucher

And it's open
For distraction
You found all the words you need
Well I found nothing
I just grumble
'cause I don't know what I feel

The moral to the story goes                                                                                                    
Never leave your heart
Never leave your heart... alone

Run for shelter
An umbrella
Fights the rain but not the wind
And I'd be silly
To start preaching
'cause I don't know which point to make!

The moral to the story goes
Never leave your heart
In a box
Locked up
With cold cold ice
Never leave your heart
...Never leave your heart... alone

Am I frozen?
But it's summer!
Is that rain or is that me?
Yes I'm melting
Please be happy
One day soon
We might just swim

The moral to the story goes
Never leave your heart
In a box
Locked up with cold cold ice
Never leave your heart
....Never leave your heart
.... Never leave your heart alone 

Never Leave Your Heart Alone (tradução) 

E está aberto
Para a distração
Você encontrou todas as palavras que precisa
Bem, eu não achei nada.
Eu só lamentei
Porque eu não sei o que sinto.

                                          A moral da história se vai...
Nunca deixe seu coração,
Nunca deixe seu coração... Sozinho.

Corra para um abrigo,
Um guarda-chuva
Lute contra a chuva, mas não contra o vendo
E eu seria boba
Por começar a acreditar
Porque eu não sei a que ponto cheguei

A moral da história se vai...
Nunca deixe seu coração trancado
numa caixa com muito gelo...
Nunca deixe seu coração
Nunca deixe seu coração...
Sozinho.

Estou congelando?
Mas é verão!
É essa chuva ou sou eu?
Por favor, fique bem
Um dia, em breve
Nós poderemos nadar.

A moral da história se vai...
Nunca deixe seu coração trancado
numa caixa com muito gelo...
Nunca deixe seu coração
Nunca deixe seu coração...
Sozinho.




and I care about you...

domingo, 17 de junho de 2012

Espécie



O ser humano não é a espécie mais forte do planeta.
Não somos os mais rápidos. Talvez nem os mais inteligentes.
A nossa única vantagem é a habilidade de cooperar. Ajudar uns aos outros.
Nós nos reconhecemos nos outros e somos programados para ter compaixão,
para o heroísmo... para o amor.
E é isso que nos faz ser mais fortes, mais rápidos e mais inteligentes.
Por isso sobrevivemos.
Por isso queremos sobreviver.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

E no dia mundial da saudade....


Embora há quem afirme que “saudade” é uma palavra portuguesa intraduzível para outras línguas, o fato é que ela é um sentimento universal. De acordo com a psicóloga e psicoterapeuta Olga Inês Tessari, saudade é um sentimento que faz parte da natureza humana, que se manifesta em algum momento da vida e está relacionada a pessoas, fatos ou situações vivenciadas no passado. A saudade pode ter um significado positivo ou negativo.

 “Ela pode ser boa, quando nos lembramos de bons momentos que ficaram para trás, como o carinho que nos foi dado por uma determinada pessoa, o primeiro namorado, o banho de chuva na praia, os amigos, a casa em que moramos. Mas, para outras pessoas, esses mesmos acontecimentos podem ser negativos e até gerar sofrimento quando relembrados”, diz Olga. Há pessoas que sofrem com a saudade por se prender ao passado a ponto de paralisar suas vidas atuais.

 Em geral, isso ocorre porque elas não aceitam a realidade atual, porque foram felizes no passado e não o conseguem ser agora ou porque não se sentem capazes de recuperar algo ou alguém perdido e que faz muita falta. O sofrimento aqui se deve ao fato de elas se culparem pela perda. “Para acabar com o sofrimento, o melhor a fazer é parar de se lamentar, procurar eximir-se da culpa e buscar maneiras de melhorar o seu presente para que o sofrimento atual, em breve, possa se tornar apenas uma vaga lembrança”, diz Olga.


Ps: a tia tá certa mesmo.
Saudades meu amor

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Seu Obssessor é sua falta de atitude.



O termo obsessor anda bem em voga ultimamente. E o que não faltam são locais realizando rituais para os obsediados livrarem-se destas malignas forças que tanto atrasam a vida de quem por elas é tomado. Os rituais são celebrados em seguimentos dos mais distintos que vão desde as Igrejas Universais até os Terreiros de Umbanda, desde as Irmandades Espiritualistas até os Centros Esotéricos, enfim, em todo lugar tem sempre alguém sendo obsediado e alguém expulsando este obsessor.

Interessante nesta história, é que geralmente as pessoas que são vítimas destes obsessores, passado um tempo livre deles, tem que retornar ao local de onde deles se livraram para novamente, repetir o processo de limpeza. Sinal que existe entre a pessoa e o obsessor uma relação bem estreita. E aí vem a pergunta: uma vez livre deste obsessor, porque este volta?
De certo volta, pois a pessoa não sai da sintonia, ou seja, a pessoa se limpa, mas não muda o principal que é suas atitudes e comportamentos para consigo e para com a vida.
Como dizia Einstein, tolice é querer que através da repetição de um mesmo processo, algo diferente ocorra.

Ora, se ao invés da pessoa ficar culpando obsessores por tudo que de ruim lhe acontece, passasse a questionar a si mesmo e mudasse sua maneira de agir, de pensar, de viver, talvez as coisas melhorassem efetivamente em sua vida.
É muito simples colocar a culpa das mazelas de nossa vida em forças malignas. Difícil é nós aceitarmos que somos senhores de nossos destinos e se as coisas não andam bem, assim não andam por culpa nossa e não de forças estranhas.

Não que eu não creia em energias negativas que se elaboram por aí, nem poderia não crer, mas daí a aceitar que as pessoas fiquem a mercê de tais forças e se lamentando da vida e toquem de ir para Igreja, Terreiro, Centros, sinceramente...
Como diz a velha frase: sorte tem quem acredita nela... 
Pois eu digo: obsessores são companheiros de quem com eles se sintonizam. O tempo que ficam se preocupando em se limpar de obsessores, deveriam se ocupar em limpar suas consciências e uma vez limpas, poderem dormir toda noite com esta tranqüila, pois nada fizeram durante o dia para temer a Lei do Retorno.

Além do que, ficar falando de obsessores só reforça esta Egrégora nebulosa e rasteira e nada contribui para o bem estar de ninguém.
Daí creio que seja interessante refletirmos e de vez de buscarmos nos livrar de obsessores que estão fora de nós, buscar nos livrarmos dos obsessores que estão dentro de nós, na forma de invejas, rancores, ódios, arrependimentos, mágoas, e outros fantasmas que não fazem bem a alma.

Autor: Fernando Martins

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Animal Planet 1x0 Humans(!?)



A mídia chinesa confirmou um caso extraordinário de uma mãe ursa que salvou seu filhote de uma vida de tortura e depois se suicidou, se livrando também do sofrimento.

Os ursos eram mantidos em uma fazenda localizada em uma área remota no noroeste da China, e tinham suas vesículas biliares ordenhadas diariamente para a produção de “bile de urso”, uma substância usada como remédio pela Medicina Tradicional Chinesa (MTC).

Foi relatado que os ursos usados para a produção do tal remédio chinês são mantidos em gaiolas minúsculas conhecidas como “gaiolas esmagadoras” – os ursos não têm espaço para se mexer, e são literalmente esmagados. A bile é colhida fazendo buracos permanentes no abdômen e na vesícula biliar dos ursos. Como os orifícios nunca são fechados, os animais são sujeitos a várias infecções e doenças, incluindo tumores, câncer, e morte por peritonite. Os ursos são equipados com um colete de ferro, já que muitas vezes tentam se matar batendo o estômago contra o chão, em uma luta contra a dor constante e insuportável.

Testemunhas confirmaram o caso de uma mãe ursa que estourou a sua gaiola quando ouviu os gritos de dor de um de seus filhotes durante o procedimento de perfuração do animal. Trabalhadores fugiram quando viram a mãe ursa correndo livremente em direção ao seu filhote. Incapaz de libertar o seu filhote das correntes, a mãe abraçou o filhote e, eventualmente, acabou por estrangulá-lo. Em seguida à morte do filhote, a mãe ursa correu de cabeça contra uma parede, tirando a sua própria vida.

domingo, 1 de abril de 2012

Dia da Verdade



Uma pessoa conta, em geral, três mentiras a cada dez minutos. É o que afirma o estudo realizado por Robert Feldman, professor de psicologia da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, e autor do livro "Quem é o mentiroso da sua vida?". A pesquisa indica que recorrer a inverdades é questão de hábito e uma forma de manter o bom convívio social.
No Dia da Mentira (01), o especialista em segurança eletrônica e autor do livro "Mentira - um rosto de muitas faces", Wanderson Castilho, reforça o coro. Segundo ele, é praticamente impossível um ser humano viver em sociedade sem usar a ferramenta da mentira em algum momento da vida.
"Quem diz que nunca mente está mentindo. Há muitos motivos para mentirmos, entre eles quando somos movidos pela vergonha ou pelo orgulho. Em outros casos, é provável que mintamos para atenuar o impacto que a verdade teria. Ou seja, mentimos para evitar magoar pessoas com quem nos importamos, ou para evitar situações embaraçosas", explica o profissional, que foi o primeiro brasileiro certificado pelo Instituto de Treinamento em Análise de Comportamento (Behaviour Analysis Training Institute - BATI), em San Diego, EUA.
Tipos de mentira
Em seu livro, Wanderson Castilho afirma que nos relacionamentos amorosos as pessoas mentem mais quando há preocupação e desconfiança em excesso por parte do outro. Para ele, a insegurança gera desconforto e dificuldade em revelar a verdade. A obra ainda aponta que flertes e atração por outras pessoas, contatos e amizades, nível de comprometimento, fantasias sexuais, traição, satisfação sexual e aparência também são assuntos que o casal costuma esconder do parceiro.
Já no ambiente de trabalho, o especialista aponta que as mentiras mais comuns são relacionadas a atrasos, trabalhos não realizados ou aptidões exageradas.
"Realizei cerca de duzentas entrevistas com diversos tipos de pessoas, e a partir daí estabeleci perfis e comportamentos típicos de mentirosos. A conclusão foi que homens e mulheres mentem na mesma proporção. Enquanto as mulheres tendem a mentir fazendo referência a acidentes ou fatos tristes de suas vidas, os homens costumam contar vantagens. Muitos aumentam ou inventam feitos profissionais, pessoais e sexuais", avalia o especialista.
Há quem acredite que algumas mentiras são necessárias para manter o convívio social. Em alguns casos, recorrer a dissimulações pode ser considerado sinal de educação, já que muitas vezes a verdade nua e crua tende a ser interpretada como grosseria. Inclusive existe um termo para quando a realidade é deturpada sem malícia, são as "mentiras brancas".
Para Wanderson, a mentira é, para a mente humana, uma grande arma de preservação social. "Do ponto de vista psicológico, a mentira é um ato instintivo de preservação, tal qual a dor ou a febre são do ponto de vista fisiológico. Sem ela a sociedade entraria em colapso. Imagine um marido que tem muitos amigos e habitualmente toma as decisões sobre como usar o tempo livre. Se a mulher não quiser acompanhá-lo poderá recorrer a uma desculpa qualquer, como trabalhar até mais tarde, para se livrar do compromisso, sem magoar quem ama", exemplifica.
A mentira é aprendida na infância
As técnicas de dissimulação geralmente são aprendidas pelas crianças desde cedo. Um exemplo é quando os pais repreendem a frustração demonstrada pelo filho ao receber um presente que não o agradou. Os responsáveis costumam obrigar o pequeno a agradecer, quando notam algum desapontamento na criança. E isso pode ser considerado uma forma de estimular a mentira social.
"Nada justifica uma mentira, seja qual for a sua intenção. E as crianças precisam ser ensinadas a sempre a dizer verdade. Este aprendizado acontece progressivamente ao longo da infância e os pais são os principais mestres. Os filhos se espelham muito mais em suas atitudes do que em suas palavras. Pais que usam sempre da verdade, que assumem a responsabilidade por aquilo que fazem e dizem, criam filhos responsáveis e éticos. Só se ensina aquilo que se é", aconselha Wanderson.
Reconheça uma mentira
De acordo com o especialista em segurança eletrônica, poucas pessoas estão preparadas para identificar um mentiroso no dia-a-dia. É preciso treinamento e prática para melhorar a capacidade de "ler" os sinais da mentira. O profissional ensina que para reconhecer uma dissimulação da verdade é preciso entender o comportamento padrão da pessoa, prestar atenção no que ela diz, nos pequenos movimentos do rosto (micro expressões faciais), no corpo e nas variações do tom da voz.
"Nosso cérebro não aceita a negação. Quando a pessoa mente, está negando a verdade, e alguma parte da sua expressão facial ou do corpo vai denunciá-la. Aspectos como frequência do piscar de olhos, uso das sobrancelhas para dar ênfase a alguma parte da conversa, posição das mãos e das pernas, rigidez do ombro, e aspecto da testa e da boca são alguns exemplos de atitudes que podem denunciar a mentira", ensina o especialista.
Para ajudar você a identificar um mentiroso, Wanderson Castilho listou abaixo 8 dicas simples de observação. Confira:
  • Lábios: morder ou lamber os lábios pode ser um forte indício de mentira.
  • Voz: quem mente fica com as cordas vocais mais esticadas que o normal, deixando a voz mais fina e fraca. Para compensar, a pessoa tenta falar mais alto.
  • Olhar: o mentiroso desvia o olhar enquanto conta a sua mentira e depois passa a olhar atentamente, querendo observar se conseguiu enganar.
  • Secura: em função de uma reação da adrenalina, o mentiroso fica com a garganta e boca secas, sendo comum se engasgar ou engolir seco.
  • Encobrir parcialmente a boca: traduz uma vontade de amordaçar-se. Tende a ser um gesto rápido, porque exprime um conflito: uma parte do mentiroso não quer calar-se - e sim continuar com a sua mentira.
  • Tocar o nariz: em momentos de tensão a sensibilidade da mucosa nasal aumenta. Assim, ao mentir, o nariz coça, embora possa ser uma sensação tão suave que mal se perceba.
  • Ombro: erguer levemente um dos ombros.
  • Expressão facial falseada: quando somos genuínos, usamos os músculos faciais certos para expressar uma emoção. Num sorriso moderado e falso, não aparecem os pés de galinha, as bochechas não são levantadas e os olhos ficam menos apertados. Num sorriso real, mais músculos são utilizados e a pálpebra superior dobra-se um pouco sobre os olhos.
Se ainda assim não conseguiu identificar uma mentira, experimente fazer o contrário: estimule o interlocutor a falar a verdade. A dica é estabelecer proximidade na conversa. Segundo Wanderson, quanto mais próximo você estiver fisicamente, mais dificuldade a pessoa terá de mentir.